fevereiro 12, 2009

Púcaros Bar - Gilberto Pereira

É um Bar que fica ali em Miragaia, em frente à Alfandega do Porto.
Todas as quartas-feiras tem noite de poesia.
O ambiente é curioso, com características muito próprias.
Os apaixonados do tema, eles próprios autênticos poemas, são verdadeiros almocreves de livros, de cadernos, de apontamentos, de fotocópias, de folhas A4, tudo à volta da poesia.
Poesia que vão buscar aos quatro cantos do mundo e que, depois, traduzem com habilidade e declamam com paixão.
Ontem foi um desses dias.
Os livros a espreitarem das pastas, as resmas de folhas espalhadas nas mesas, os poemas sublinhados, por vezes riscados, a imensa vontade de viver a poesia.
Tudo isso misturado com o fumo dos cigarros, do tabaco de enrolar e com o cheiro próprio de um lugar que não conhece o sol.
Tudo ali é Porto.
Tudo ali é Poesia.
Para quem gosta e também para quem não aprecia.
Ontem serviu também para divulgar o primeiro livro de poesia de Gilberto Pereira - Reticências.

Escreve assim:

ainda o silêncio
ainda o vazio das palavras
ainda a dor de um amanhã mudo
sem a luz de um olhar
sem o raiar de um sorriso
ainda um céu cinzento sobre a cabeça
o sol brilha por toda a parte
a parte que me cabe perdeu-se


E eu gostei. E apreciei!

2 comentários:

paulofski disse...

Já tinha ouvido falar do púcaros bar mas não o conheço. Fica a partilha e a dica para uma noite poética.

Beijo

tossan disse...

Aqui na minha cidade não há nada disso é uma pena! E possuimos o maior porto das Américas, completamente abandonado nesse espaço. Abraço