setembro 28, 2010

Saudade


"Se tanto me dói que as coisas passem
É porque cada instante em mim foi vivo
Na busca de um bem definitivo
Em que as coisas de Amor se eternizassem"
Sophia de Mello Breyner Andresen

Parece nada ter a ver, o poema com a foto.
É uma imagem recente do Mercado do Bolhão.
Que, de certa forma, eterniza alguns momentos
Das coisas que passam...
E da saudade que fica...

4 comentários:

tossan disse...

Genial, gostei muito! Saudade é assim!
PS: Sim de Portugal

F Nando disse...

Há sabores e cheiros de infância e isso é saudade...
Bjs

paulofski disse...

Estou a imaginar o pregão da vendedeira do Bolhão, alto e bom som, para a freguesia: Quem quer alho!?

A saudade é agridoce.

VAP disse...

E é bom sentir saudade...sinal que o passado ficou no nosso coração.