janeiro 08, 2009

Alberto Caeiro

Para ALÉM da curva da estrada
Talvez haja um poço, e talvez um castelo,
E talvez apenas a continuação da estrada.
Não sei nem pergunto.
Enquanto vou na estrada antes da curva
Só olho para a estrada antes da curva,
Porque não posso ver senão a estrada antes da curva.
De nada me serviria estar a olhar para outro lado
E para aquilo que não vejo.
Importemo-nos apenas com o lugar onde estamos.
Há beleza bastante para estar aqui e não noutra parte qualquer.
Se há alguém para além da curva da estrada,
Esses que se preocupem com o que há para além da curva da estrada.
Essa é que é a estrada para eles.
Se nós tivermos que chegar lá, quando lá chegarmos saberemos.
Por ora só sabemos que lá não estamos.
Aqui há só a estrada antes da curva, e antes da curva
Há a estrada sem curva nenhuma".

4 comentários:

DOCETERE disse...

Curvas e mais curvas na escrita de Caeiro...

Anastácio Soberbo disse...

Olá VAP
Obrigado por seu conselho, tenho tentado a todo o custo não cair na tentação e vou conseguir.
Está a ver? Este meu abandono de um vício que mata, dará para o interpretar como uma curva perigosa na estrada da vida?
Um abraço e tenha um óptimo fim de semana.
A. Soberbo

DOCETERE disse...

Vim de novo mirar mas nada mais...foi da neve ou de falta de tempo? Bjs e votos de bom fim de semana.

M. Teresa

Principezinho disse...

A vida é agora, há que vive-la intensamente.É preciso arriscar e fazer a curva na estrada!