novembro 14, 2008

Alfama, um Miró de Lisboa


"...É numa água furtada
no espaço roubado à mágoa
que Alfama fica fechada
em quatro paredes de água..."
José Carlos Ary dos Santos

4 comentários:

Tentativas Poemáticas disse...

Olá Vera
Tanto que eu brinquei aqui, às guerras (é verdade!) Morava na Rua da Madalena, na altura pertencente à Mouraria e tinhamos exércitos que lutavam contra os miúdos de Alfama, Castelo de S. Jorge, etc. Que lindos os tronos de Santo António! - Dê um tostão p'ro Sto. António!
Beijinho e bom fim-de-semana.
António

Vap disse...

Que lindo comentário!
Terno como o lugar.
O Tostãozinho para o Sto António...
Que saudades!
No Porto são as cascatas.
Eu conheço mal Alfama. Entrei pelo beco, em direcção ao restaurante, no cimo tem um largo, onde vi crianças a brincar e vizinhas conversando na janela.
Achei curioso que uma delas, já com uma idade avançada, tinha a secar, no estendal defronte à sua janela, dois saquinhos de plástico.
Achei uma graça! Porque ainda me lembro do tempo em que se lavavam os sacos de plástico, mas julgava que já ninguém fazia isso.
Pelos vistos, em Alfama, ainda se faz.
Bem haja, pelo seu comentário!

maria tomé disse...

Alfama, é o bairro mais antigo e carismático de Lisboa cidade...este bairro mediaval é um dos mais cativantes das 7 colinas.
Vivi a meio da rua dos remédios(rua central) e nunca mais poderei esquecer a minha janela, que tinha vista sobre o dominó dos telhadinhos de Alfama até abraçar o Tejo.
Entregavam-me o pãozinho fresco em casa e havia uma lojinha ao fundo da rua onde comprava café moido, infusões de chás, chocolatinhos e outras delicadezas...ainda tudo a peso.:)
Ai, que belas recordações!
Vivia numas águas furtadas, tinha portadas á antiga e uma sardinheira á janelinha(dada pela minha vizinha velhinha que tinha passado uma vida inteira como costureirinha de teatro).
Lembro-me de ir com ela beber chá e bolinhos ao tivoli e de passar tardes a ouvir-lhe deliciada as histórias de outros tempos que já lá vão...
Alfama(vencedora anos a fio das marchas de Lisboa,e, por isso mesmo fruto de invejas bairristas:)é hoje assim, um bairro cheio de história, percorrida pelo emaranhado de becos em calçada á portuguesa onde se misturam gerações, estrangeiros, marialvas, varinas, casas de pasto, de fados e fadistas(imperdível uma visita ao museu do fado)!
Alfama cativa-nos para sempre a alma e deixamos lá ficar parte do nosso coração!

Vap disse...

Isso foi há muito tempo?
É que parece que Alfama ainda mantém essa traça inicial.